close
El País

Babinski, o pintor polonês que regou sementes de resistência no sertão do Ceará

Babinski, o pintor polonês que regou sementes de resistência no sertão do Ceará




Em sua casa cearense, Babinski recebe os visitantes na porta da casa de pavimento único onde vive, de calça jeans e camiseta azul marinho. As paredes claras da sala e dos dois quartos da casa estão repletas de obras de arte: há algumas feitas pelo próprio artista e outras telas que ganhou de amigos. Com um leve sotaque estrangeiro e um português impecável, Babinski se apressa em contar como Várzea Alegre, uma cidade de 40.000 habitantes no sul do Ceará que provavelmente não atrairia por si grandes artistas, lhe reconectou com os valores da infância. “Esta cidade me deu uma nova noção do tempo. A única maneira de não perder essa noção do tempo é tentar estudar a história. Eu tenho isso de graça, porque vivi o tempo passado. Quanto mais velho você fica, mais lembra do que aconteceu lá atrás. Tudo isso eu tô podendo desfrutar hoje de maneira consciente”, ele diz.Seguir leyendo.



Source link : https://brasil.elpais.com/brasil/2019/09/02/cultura/1567451707_224689.html#?ref=rss&format=simple&link=link

Author : Beatriz Jucá

Publish date : 2019-09-08 23:40:17

Copyright for syndicated content belongs to the linked Source.

Tags : El País

The author wa-news