close
El País

Ottessa Moshfegh: como ficar um ano na cama vendo filmes dos anos 80

Ottessa Moshfegh: como ficar um ano na cama vendo filmes dos anos 80




“É uma extraterrestre?”. Essa foi a primeira pergunta que o agora noivo de Ottessa Moshfegh, o também escritor Luke Goebel, fez ao conhecê-la. Havia viajado a Los Angeles para entrevistá-la para uma revista. Quando acabou haviam passado 27 dias de encontros e questões literárias. Não é de se surpreender que intuísse nela uma aura extraterrestre. Nada na vida de Ottessa Moshfegh (Boston, 1981) é mundano e convencional. Seu pai é um violinista judeu iraniano que se apaixonou por uma croata fugindo da revolução islâmica. Aprendeu a ler partituras antes de palavras. Passou sua infância presa em um colete corretor de posturas pela escoliose. Morou na China e dava aulas de inglês em um bar de punks. Voltou aos EUA e conseguiu ser assistente de Jean Stein na revista The Paris Review. Enquanto se aproximava da elite literária de Nova York, adotou um gato de rua que quase a mata (demorou meses a descobrir que havia contraído uma febre pelos arranhões), mas que por sua vez a salvou: deixou Manhattan, se mudou para Los Angeles e começou a publicar.Seguir leyendo.



Source link : https://brasil.elpais.com/brasil/2019/07/24/cultura/1564000241_780465.html#?ref=rss&format=simple&link=link

Author : Noelia Ramírez

Publish date : 2019-07-24 21:23:47

Copyright for syndicated content belongs to the linked Source.

Tags : El País

The author wa-news